domingo, 26 de abril de 2009

PORQUE NÃO?


Um momento novo cai em minhas mãos.
Como se por todos esses anos, alheio a tudo e ao mesmo tempo inteiranente de olho no acontecer eu soubesse agora o que fazer. Isso!! Então farei. Mas...por onde começar??Confesso que já tentei. Ahhh, aqui está a tão constante dualidade.
E se eu continuasse alheio, e se eu não me importasse, se cuidade somente do meu nariz e nada mais, seria bem melhor. Mas há algo em mim, que sempre, sempre, sempre morou aqui dentro e me pertubou. PRECISO fazer algo. Há vontade, só não há ação.
Vi o que há perto de mim...vi que estou trilhando um caminho legal...vi que há necessitados de ajuda, de orientação, de conversa, de coração.
O que há então? Medo? De que? Do compromisso?? É...Talvez.

Sei que posso fazer algo e a minha vontade diz isso porque me sinto a vontade ao pensar no fato. Mas então por que a inércia?


P.S.. Ontem quando estava no ônibus, vi um cara numa bicicleta de manhã cedo, fazendo aquelas caminhadas como ciclistas fazem. Ele parecia amador pelas suas vestimentas. Vi como ele cortava cada curva, como se balançava e como a brisa batia em seu rosto. Senti - me atraída pelo fato dele parecer livre. Tive inveja, queria estar em seu lugar.
Pensei: o que teria levado aquele rapaz a pedalar tão cedo numa manhã tão fria? Talvez assim como eu ele tivesse tido vontade de levantar e fazer algo diferente e somente uma coisa me diferenciava dele: ele teve ação.

É ai que vejo que minha inércia diante das coisas é grande. Coisas que posso mudar e não mudo, coisas que posso fazer e não faço...
O que falta?
...

5 comentários:

.:Bruna Malaquias:. disse...

Oi Priscila!

Muito prazer!

bem-vinda ao meu blog e obrigada pelo comentário!

Já estou seguindo o seu blog!

Um beijão!

ANA disse...

Oi pri, o que falta pra mudar?
quem sabe dá o primeiro passo! uma mudança mesmo só acontece quando se muda aos pouquinhos, entende?
oh, mas só não vale ficar triste...

bjs.

O lado quente do ser disse...

ÓTIMO texto Srta, de verdade, muito bom... o ser que mora em você pede e vc nada faz. Grite qnd quiser, as vezes por falta de opção, faz bem...

"Existe um ser que mora dentro de mim como se fosse a casa dele, e é. Trata-se de um cavalo preto e lustoso que apesar de inteiramente selvagem - pois nunca morou antes em ninguém nem jamais lhe puseram rédeas nem sela - apesar de inteiramente selvagem tem por isso mesmo uma doçura primeira de quem não tem medo: come às vezes na minha mão. Seu focinho é úmido e fresco. Eu beijo o seu focinho. Quando eu morrer, o cavalo preto ficará sem casa e vai sofrer muito. A menos que ele escolha outra casa e que esta outra casa não tenha medo daquilo que é ao mesmo tempo salvagem e suave. Aviso que ele não tem nome: basta chamá-lo e se acerta com seu nome. Ou não se acerta, mas, uma vez chamado com doçura e autoridade, ele vai. Se ele fareja e sente um corpo-casa é livre, ele trota sem ruídos e ai. Aviso tambem que nao se deve temer seu relinchar: A gente se engana e pensa que é a gente mesma que está relinchando de prazer ou de cólera, a gente se assusta com o excesso de doçura do que é isto pela primeira vez."

Clarice Lispector (uma aprendizagem, ou, o livro dos prazeres)

ANA disse...

oi pri li no seguidores "seguam-me os bons". Então eu pensei: opa! vou seguir.(brincadeirinha)

bjs.

Jordana Braz disse...

"O que me prende?"
Essa é uma pergunta tão profunda... difícil de fazer e fácil de responder... No meu caso, essa pergunta eu faço diariamente e logo responde " Nada."

Penso de como tudo é tão ligeiro...
Não existe tempo para guardar sensaões, desejos, ideais... coisas assim.

Hoje em dia, o que eu quiser, eu faço!

=)

Beijos!!!!!!

Você pode gostar de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...