domingo, 28 de fevereiro de 2010

AS DORES DE NÓS MESMOS.

   Ela já sabia que não seria fácil, de tudo já sabia. Então por que o espanto? Onde está a novidade?
O fato de conhecer algo ou alguém há anos, não diz respeito se você de fato conhece hoje. Tudo é passível de mudança.
  O mais espantoso  na verdade não é o fato de saber que não seria fácil, pois ela disso já sabia, o estranhamente estranho era não dar o braço a torcer! O ego fala mais alto. O egocentrismo está no poder.
  E ela não conseguia entender.
 Amor? Quem? Quando? Onde? Não consigo  ver  por aqui - e se ele anda por essas bandas não o percebo; vai ficando esguio e passa pela frestra da porta.
 Tudo está escasso e no momento como dizia o poeta " estou cheio de me sentir vazio..." e vazio é o que sinto. Vazio é o que há.
 E não, não imaginei que seria assim e agora quando tenho vontade de chorar não consigo.
 As músicas que embalariam o tal do amor não tocam, as surpresas boas não existem, as frases bonitas já se foram e poxa... pra mim mais uma surpresa: foram embora cedo demais!
 Sonhar sozinho, fazer planos pela metade não dá, são expectativas de quem quer só.
 E agora apenas o medo de no reino onde haviam príncipes restarem apenas sapos.

Nenhum comentário:

Você pode gostar de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...