terça-feira, 29 de março de 2011

Manifestação do meu eu sobre a moda.

Resolvi escrever sobre a moda e gostaria que você lesse até o final. Ué como assim seu blog já não trata do assunto? Pois bem, vou explicar. Sempre gostei do assunto mas meu blog só começou a falar efetivamente disso em agosto do ano passado, a moda sempre fez parte da minha vida embora eu não seja adepta do mover céus e terras para se ter algo que muitas vezes não se pode ter. Não sou aloka do cartão de crédito que compra algo só porque todos estão usando, ou porque é o último grito e se você não tem está fora. sempre fiz compras na medida, pois o cartão pode não ter limites mas eu sim, sempre pensei até onde eu poderia ir e se isso iria mudar algo na minha vida. Aprendi muita coisa quando comecei de verdade a entender sobre o que é a moda e o que ela faz com a gente. Por exemplo com a Cris Guerra aprendi os três passos básicos de quem quer aprender a  comprar e não quer meter os pés pelas mãos é só perguntar a si mesma: eu quero?, eu posso?, eu preciso? Se disser não a uma das três perguntas então não é ainda hora de adquirir tal produto.
Verdade é que ela a moda sempre foi vista com algo fútil e efêmero por ter como carro chefe roupas o que faz com que pensem logo que quem curte moda não tem nada na cabeça e um coração vazio.
Na realidade quem entende mesmo  e se conhece sabe que não é assim. A moda é muito mais e tem implicações sociológicas e psicológicas que muitos não conhecem. A palavra “moda” vem do latim modus, significa “modo”, “maneira”. É um sistema que acompanha o vestuário e o tempo, que integra o simples uso das roupas no dia-a-dia a um contexto maior, político, social, sociológico. Ela está intimamente ligada a auto estima, ao ser humano e sendo assim não pode ser tratada como algo meramente fútil.
Também é verdade que muitas pessoas se valem da moda para cobrir algo que não tem, para tapar um vazio existencial, para essas pessoas a moda não passa de válvula de escape o que deve ser analisado com mais clareza, pois a ditadura do consumo está ai dizendo o que temos que vestir, o que comprar e que seremos mais felizes se tivermos tal coisa...tolice! A moda não é um dogma como diz a Karol, e a Ana é preciso mais clareza ,leveza, mais diversão, conhecimento de si e auto aceitação na hora de se vestir.

A moda é pra ser algo feliz, um encontro de você consigo mesma, um lugar onde você  possa se sentir bem e confortável. Pode ser que ninguém mais me leia pois não tenho status de rica, e não quero parecer ser. Sou a favor do bom e belo(se ele custa R$20 ou R$ 2000 não importa) o que me importa é  tudo o que faz a gente ser bonito por dentro e por fora, o que faz você ser você e mais ninguém.
Já ouvi críticas de pessoas dizendo que  não se pode gostar do que é culto, literário e moda, futilidades ao mesmo tempo. 
Gosto de ler Saramago, chorei ao o filme Marley e eu, sou Fã do escritor Aluísio Azevedo e Chico Buarque, amo as Gêmeas Olsen desde sempre, Chorei ao ler Cem anos de Solidão de Gabriel Garcia Marquez, amo poesia, e amo o filme Delírios de Consumo de Becky Bloom e tantos outros dessa linha. 

Não me importo com o que dizem. O que  me importa é o ser e não o ter. E pensar em moda e escrever sobre isso (assim como outras coisas das que gosto) me faz ser melhor.



“Não concordo com os fashionistas que afirmarm que o leigo não consegue entender nada de moda, e que a melhor forma de demonstrar admiração por suas criações é através do silêncio e do cartão de crédito. Isto é um mal entendido que vê na moda nada mais que um ofício conhecido apenas por aquele que o pratica: a moda é uma manifestação de emoção, e a emoção fala uma língua que todos são capazes de entender".
adaptado de “Um Gosto e Seis Vinténs”, de Somerset







12 comentários:

Karol Nogueira disse...

AMEI o seu ponto de vista! parabéns! :)

Marcelly Rosa disse...

Amei Isso ae amiGa!

Estou Com Post Novo
Passa Lá:


hppt://marcellyrosa.blogspot.com

Beijos cor de Rosa...!

:) Pink Milena *.* disse...

UAU! ADOREI SEU POST! BJS!

Lili disse...

Li o texto todo e assino em baixo. Posso dizer que sou muito consumista, mas dou muito valor ao meu dinheiro também. Ontem mesmo saí toda feliz da C&A com uma compra de R$30 que há alguns meses atrás sairia por R$160, é de assustar né?!

Adorei conhecer seu cantinho, espero sua visita lá no meu também! :)

Beijos, Lili

Déia Moura disse...

adoroo seu blog!! beeijo

http://deinhamoura.blogspot.com/

Cuestión De Moda disse...

Prissss!!
Muita razão!!
Gostei das suas palavras ;)
Tens uma coisinha no meu blog =D
Beijinhossssss
Paula
....★★★

Dilan Dilir disse...

Oh you are always so cute my dear <3 No I don´t work with drawing,It´s juyst my hobby :D But maybe in the future It will be a part of my work :) <3

have a wonderful day sweetie <3

Alma Feminina disse...

Ameei seu blog ! Ja estou seguindo
Qdo puder vissite meu blog tbm =)

Beejs
almaafeminina.blogspot.com

Phil disse...

Nem mais, concordo plenamente. O exemplo disso são aquelas pessoas com um estilo muito próprio que muitas vezes vestem peças que já ninguém usa e estão sempre bem, a moda é o que cada um nós contrói com ela. Parabéns pelo texto. kisses

H Rija disse...

Neat post

My Lyfe ; My Story

Path* disse...

Corcordo com a tua opinião=)
Beijinho

Haylla disse...

Uma lindeza! ♥

Você pode gostar de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...